Chegamos ao Terrible Two

Há duas semanas temos experimentado muito ativamente a fase dos dois anos que deixam as mamães de cabelo em pé! Coisas que eram feitas sem nenhum stress, como trocar a fralda e tomar um banho (a Lia nunca chorou para tomar banho, nem quando era bem bebê, ela até dormia na banheira), agora são momentos de birra e muita manha.
Tudo é motivo para o choro e se ela for contrariada perde o controle. A Lia grita tanto, mas tanto que fica sem fôlego, se joga no chão, responde alto e depois fica muito envergonhada de estar chorando e culmina num nervosismo sem tamanho com mais e mais choro.
Não está sendo fácil manter a sanidade, tento sempre manter o diálogo e explicar o porque ele não pode ser atendida naquele momento ou porque precisa tomar o banho naquela hora, mas tem vezes que a única coisa que consigo é ficar ao seu lado até o ataque de fúria passar.
A verdade é que nessa fase a criança ganha autonomia, tem vontades próprias e não sabe lidar com tanta emoção. E está tudo bem, porque ela está se desenvolvendo, percebendo seus desejos e o mundo a sua volta.
À todas as mamães que estão vivenciando essa fase ou vão passar por ela desejo muito amor, segurança e uma boa dose de suco de maracujá!
DSC_7827

Como escolhemos a escola da Lia?

Não foi uma decisão fácil, cerca de 6 meses pensando, visitando as opções disponíveis por uma, duas, três vezes e ainda não ter 100% certeza de ter feito a melhor escolha, já que as aulas não começaram.
Como é difícil decidir qual o momento ideal para colocar os pequenos na escola, qual escola atende as minhas expectativas como mãe e qual escola vai atender às necessidades da Lia como criança. A Lia vai começar as aulas com 1 ano e 8 meses na sala do maternal.
Levei em consideração muito itens, um dos principais foi a infraestrutura da escola e se as salas de aula eram bem ventiladas, já que moramos numa região muito quente e a Lia vai estudar no período da tarde.
Também busquei saber se havia local adequado para realizar a troca de fraldas dos bebês e para os pequenos tirarem uma soneca. Minha preocupação maior é com o bem estar da pequena.
Observei a segurança e limpeza dos brinquedos do parquinho e busquei informações sobre as professoras e sobre as atividades desenvolvidas dentro e fora da sala de aula.
Depois que decidimos qual seria a escola escolhida fui diversas vezes na mesma, conversei com as professoras, com a coordenadora, com as meninas da secretaria, com o pessoal da limpeza, enfim todo mundo que dava uma brecha eu já ia puxando papo.
Busquei nessas pequenas conversas sentir o ambiente da escola, o humor dos funcionários e ver se as informações eram passadas da mesma maneira por todos com quem eu conversava.
O início da vida escolar é um momento muito importante para os nossos filhos e a escolha deve ser feita de maneira calma e com muito critério. Também sei que a possibilidade de escolher a escola dos nossos pequenos não é algo acessível para muitas mamães.
Mesmo que você tenha apenas uma opção disponível  é muito importante se mostrar interessada por todos esses detalhes que falei anteriormente, pois todas as escolas, tanto públicas quanto privadas devem prestar um serviço de qualidade e cabe a nós fazer valer os nossos direitos!

165906_420610344640248_1362869156_n

Vou fazer do limão uma limonada!

No final de novembro comecei a sentir dores terríveis na coluna lombar e no nervo ciático da perna direita e o que mais me consumia era conhecer bem aquela dor e já ter quase 100% de certeza de onde ela vinha.
Uma hérnia de disco está tirando a paz dos meus dias, das minhas noites e principalmente dos momentos com a Lia. Ver a pequena querer meu colo para dormir, para se acalmar, para brincar e não poder oferecer é como se uma faca entrasse em meu coração!
Minha vontade é de chorar, de agarrar a Lia e suprir suas necessidades. Vou confessar que na maioria das vezes acabo pegando ela no colo. Operei de uma hérnia de disco lombar há 11 anos e agora outra se formou no segmento da coluna abaixo do que já foi operado. O médico pediu que eu fizesse o repouso absoluto e sessões de fisioterapia para tentar evitar uma segunda cirurgia. 😱😱😱😱
Como fazer repouso tendo um bebê de 19 meses com energia de sobra para explorar o mundo? Minha vontade foi de rir para o médico, ele não sabe o que está falando…. Depois que nos tornamos mães tudo fica muito mais difícil, as coisas tomam uma proporção diferente e já não pensamos apenas em nós. Na verdade penso mais na dificuldade que a Lia está enfrentando com essa mudança do que no meu problema propriamente dito.
Para complicar um pouco não tenho nenhum familiar que mora na mesma cidade e revezar a tarefa de cuidar da Lia com alguém fica mais difícil. Assim que chega do trabalho meu esposo ajuda muito, mas durante o dia pequenas atividades como trocar uma fralda ou dar um banho na pequena são difíceis de serem executadas.
Aí vocês me perguntam o que tudo isso tem haver com o lançamento do Blog Mamães em Pauta?
Estava concluindo o blog para fazer o lançamento e envolvida em vários projetos. Como aconteceu isso tudo comecei a desanimar, até por isso o ritmo das postagens diminuiu um pouco.
Mas pensei em fazer do limão uma limonada, começar 2016 de maneira diferente e usar o relato do que está acontecendo comigo hoje, justamente para iniciar as atividades do blog!!
Não vou me auto sabotar, preciso continuar ajudando mais mamães, quem sabe tem mais alguém passando por uma situação parecida e possamos dividir nossas experiências!
Esse será mais um canal para que caminhemos lado a lado! Beijo no coração e ainda tenho muita novidade boa vindo por aí!!

DSC_8886

Dormir é para os fracos!

Cada vez mais acredito nessa frase!!! Pensando cá com os meus botões, faz um ano e quatro meses que não sei o que é dormir mais do que 4 horas seguidas!!! Eu e minha cunhada Camila (que é mãe da Isabella de quase 4 anos) sempre nos divertimos muito com essa afirmativa, já que é melhor rir do que chorar!

Desde que a Lia entrou em nossas vidas optamos pela cama compartilhada, na verdade muito mais eu do que meu marido. Não sabia nada sobre o assunto e apenas pensei na “comodidade” de ter a Lia pertinho na hora de amamentar.

Depois de todo esse tempo dormindo juntas e dela ter crescido um bocado, chego a conclusão que não durmo bem há muito tempo. Ela mexe, remexe, aperta a minha mão, aperta as pernas do papai e quando a fome chega então nem se fala (a Lia ainda toma várias mamadeiras durante a noite).

Estamos pensando em algumas idéias para tentar dormir um pouco melhor. Aos poucos estamos colocando a Lia no quarto dela, mas ainda não sei se gosto dessa ideia, porque mesmo não dormindo a noite toda, confesso que amo a cama compartilhada!!

blog5